A minha realidade também é minha ficção

Atriz Thais Barbeiro_Por Jeff Porto_11

Tenho duas experiências pessoais recentes para contar… estive ano passado a convite de dois grandes diretores para uma leitura de texto para a protagonista de uma série de TV… Eu não conhecia a personagem… e na primeira leitura… seria apenas eu mesma, me colocando de forma bem natural, nas situações que a personagem ia vivendo. Os textos eram impressos na hora, e eu lia o desconhecido, no escuro. Sem saber quem ela era, ou que situação viveria a seguir. Era apenas a Thais a tatear o texto… uma espécie de parede branca no escuro. Não fui aprovada para viver a protagonista. Um dos diretores disse que eu era meiga e simpática demais para viver aquele papel. Eu sorria muito… isso não agradou. A Thais que eu sou, ele não gostou. E eu não tive tempo de tentar ser a outra… tivesse tempo, o time da atuação faria a diferença. Vestir-se de alguém não é tão simples ou fácil…  a construção de um papel não é um gesto mecânico… Eu precisaria me trancar dentro de mim, em algum lugar secreto… para que a protagonista da história pudesse vir à luz da vida, como numa gestação que leva nove meses para que o parto aconteça… Esse tempo é o mesmo do ator… é necessário se preparar para mergulhar na vida daquela persona, sabendo o antes e o depois. A linha de pensamento… sua trajetória: seus amores, dúvidas, medos, ansiedades… o seu jeito de ser e enfrentar determinadas situações. E para TV e Cinema que possuem linguagens extremamente naturalistas, o tempo é curto — quase inexistente. E a demanda de atrizes querendo atuar é imensa… é muito mais fácil achar a atriz com o “jeito certo” para determinado personagem. Talvez por isso, muitos atores, em cena, representam a si mesmos e perdem a possibilidade de ousar, como outros tantos já o fizeram… Se vestirmos sempre os mesmos personagens em cena, qual a graça disso tudo? O mais divertido é poder ser muitas personas; muitos corpos, vozes. O que me leva a segunda história: fui convidada a fazer um espetáculo teatral, onde dobro o mesmo papel com outra atriz. Uma experiência desafiante… entrar em cartaz num processo já existente há anos. Tive apenas um mês de ensaios… e o resultado não poderia ser outro porque cada pessoa é de um jeito, e a personagem vai acabar diferente também por causa disso: um corpo diferente, uma voz diferente. Tudo muda, mesmo que as falas e as marcas sejam iguais, mesmo que a direção seja a mesma: você é outra pessoa. E definitivamente outro personagem nasceu de minhas entranhas. Uma vivência muito marcante… No processo de me preparar para viver algo, muito da minha realidade é deixada para trás, mas não tem jeito, muito do meu eu, também vai comigo nessa viagem…

Sobre o Espelho que sou

Atriz Thais Barbeiro_Por Jeff Porto_5

“O mundo é como um espelho que
devolve a cada pessoa o reflexo
de seus próprios pensamentos.
A maneira como você encara a
vida é que faz toda diferença..

Luís Fernando Veríssimo

Eu me olho no espelho, e percebo a passagem do tempo… as rugas, o olhar que já não é mais o mesmo. Alguns cabelos brancos que começam a surgir de maneira rebelde…Faço uma pausa para o chá… os olhos se fecham, sinto o vento tocar a pele… e um longo suspiro se precipita carregado de vivências.Tudo isso valeu à pena – sem dúvida – e, como na cena final de um filme da minha própria vida… me vejo olhando para trás. Recordo de forma saudosa todos os amores e as dores que tive. Olho fixamente nesse espelho, e crio pensamentos do que quero me tornar um dia. Sempre há tempo! É difícil conhecer-se bem – tão necessário – que parece uma conquista do corpo e também da alma… saber – com precisão – o que gosto e o que não combina mais comigo. Não existe um manual para saber-se – deveria, mas não há – por isso é preciso experimentar todas as coisas da vida. Estar aberto ao novo, e se permitir olhar todas as coisas, de um ponto de vista diferente… dessa maneira, as situações da vida que, pareciam tão improváveis, mostram-se corriqueiras. O ontem quando se veste de hoje se permitimos. É clichê, mas é verdadeiro: não somos mais o que éramos. E existe o fácil e o difícil? …de certa forma sim, porque depende da maneira como observamos as coisas. Se aprendemos ou não com os nossos erros e acertos. Se somamos os acontecimentos. Se prestamos a devida atenção nas oportunidades… se aceitamos ou recusamos o que a vida nos propõe. Eu sou o resultado de tudo que fiz até hoje… é através de tudo que fiz ou deixei de fazer que me construo e desconstruo um sem fim de vezes. Sendo outra… eu mesma… em cena, em textos alheios ou em escritos meus, na vida que imita a arte e vice e versa. Acredite: nem sempre estou satisfeita… às vezes, não acho justo o resultado final, de tal maneira que dá vontade de sentar e chorar – de raiva e ódio devidamente misturados – me inquieto… respiro fundo e como quem reflete, repasso milhares de vezes os meus passos – como um texto que se decora a exaustão das leituras – em busca de possíveis explicações para ser melhor numa próxima vez. Nunca há de me faltar dedicação.     Confesso, minha maior ambição é ser um dia quem ainda não fui… e meu maior desejo é ser o que o passado moldou através do tempo – muito mais forte – sempre… e assim sigo nesse ato de colecionar possibilidades, acumulando experiências.

A importância da Assessoria de Marketing Pessoal para Artistas

Entrevista para Folha da Zona Sul com Thais Barbeiro sobre a importância da Assessoria de Marketing Pessoal para Artistas

Por Ronan Horta

cropped-Thais-Barbeiro_16.jpg

“Eu não vendo ninguém para a arte.

Eu ensino as pessoas a se venderem, a serem proativas e empreendedoras. Ensino como o artista

deve ir em busca do seu próprio dinheiro,

e não ficar em casa esperando o seu sonho cair do céu.”

Thais Barbeiro

Ronan Horta: O que é este trabalho de assessoria para artistas?

Thais: É um trabalho inovador. Todo mundo precisa saber se vender, poucos sabem fazer isso. O artista não pode depender de uma agência ou um agente para indicar tudo e como ele precisa fazer. São poucos que conseguem essa atenção diferenciada de uma agência. E aqueles que estão começando no mercado, são apenas mais uma agulha no palheiro no meio de tantos outros profissionais. O artista deve ter o seu diferencial. E é preciso saber como fazer isso. Qual caminho trilhar? Como ser lembrado? Essas são algumas questões que falamos nessa assessoria. E para os artistas que já estão no mercado faz muito tempo e os que estão no ar com coisas bacanas, é preciso um apoio. Um reforço na divulgação de sua imagem de forma a mantê-los sempre em evidência. E manter suas redes sociais e blog “bombando”.

Ronan Horta: É preciso ter um plano de carreira? Mesmo na profissão artística?

Thais: Claro que sim! Não se pode contar apenas com a sorte! Você tem que saber exatamente qual é o próximo passo a dar. Planejamento, foco e organização na vida artística criam o seu diferencial. No geral os artistas são desorganizados neste sentido, e isso implica no setor emocional e descontrole financeiro.

Ronan Horta: Como você consegue estimular profissionais da arte a fazerem uma análise das suas próprias competências e habilidades e colocarem um foco determinado num setor que gostem mais?

Thais: Sinto que muitos que me procuram estão completamente perdidos ou desestimulados. O principal motivo é a baixa autoestima muitas vezes. Noutras, um simples fator de desorganização e falta de habilidade de lidar com projetos empreendedores. Vê-se uma passividade, na forma de esperar que algo vai cair do céu. Um contrato perfeito, o convite certo na hora certa. E isso acontece? Sim! Pode acontecer, mas tudo é resultado de uma energia gerada para isso. Alguns casos as pessoas possuem excesso de autoestima e desenvolvem um projeto atrás do outro em diversos setores sem foco algum. E criando uma confusão ainda maior na cabeça dos produtores de elenco. Não quero o “pseudo-artista”. Quero o artista realizador. E tudo isso começa na construção de uma imagem. Seja para uma pessoa iniciante na carreira ou para um veterano. Os tempos mudam, e também é preciso se atualizar de como funcionam as coisas nos tempos rápidos dessa era “internética” de comunicação descartável.

Ronan Horta: E é difícil para o artista aceitar que alguém precisa muitas vezes “colocar o dedo na ferida” e expor a ele a importância de sua imagem e a forma como ele e é visto pelas pessoas. Como você faz isso?

Thais: Normalmente eu analiso todo material que essa pessoa tem antes de fazer essa consultoria. Fotos, Links de Vídeos, Redes Sociais, etc. Se precisar dizer algo difícil, como: Você precisa emagrecer, estas fotos estão horríveis, você não vai conseguir trabalhar com este tipo de roupas que utiliza, sua atuação nos vídeos está ruim, você precisa estudar mais, você está fazendo os cursos errados para o tipo de trabalho que você quer focar em sua profissão, etc. Em apenas 1 hora, eu consigo resolver muita coisa. Eu faço por escrito um documento que envio para meu cliente sobre essa análise prévia, apontando o que não está bacana, o que precisa de maiores investimentos, sejam em cursos, beleza, fotos, vídeos, entre outros. Eu costumo passar uma lista de indicações minhas, de lugares e pessoas de confiança no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, pois são os locais que trabalho e eu mesma costumo utilizar os serviços destes profissionais. Não ganho nada com estas indicações. Apenas a certeza que este artista estará bem encaminhado, e em boas mãos. Assim meu trabalho ganha mais confiança e todos ficam satisfeitos. Eu também indico as melhores agências e contatos de importantes produtores de elenco. E o trabalho mais difícil de todos é sensibilizar os profissionais da importância da mudança de comportamento. E a continuidade que se deve ter em saber o que se postar nas redes sociais na hora certa e no momento certo. Bem como ter um bom mailing, uma boa rede de relacionamentos entre outros. As pessoas só indicam quem confiam. E o primordial é passar essa confiança e segurança. Saber construir um bom portfólio profissional, muda a vida do artista. Somos resultado de tudo que fazemos. Saber dizer sim e dizer não também é primordial. Credibilidade, confiança e segurança são as palavras chaves para o sucesso em qualquer profissão. E no caso artístico, para atingir este patamar é necessária uma cultura de aceitar críticas construtivas, e saber que sempre se pode aprender mais do que se acha que sabe. Sempre. Afinal, ninguém é perfeito. E a maior arte de todas é reconhecer e trabalhar em cima de nossas imperfeições e na imagem que elas passam ao público e aos contratantes.

Saiba mais sobre este serviço e solicite um orçamento em: contato@thaisbarbeiro.com

Saiba mais sobre Thais Barbeiro.

 

A arte de ficcionar a realidade

“Esta é a minha vida.
Este jogo conjunto.
Subimos todos juntos,
Em um navio que parte,
para longe, bem longe,
Para descobrir uma terra,
legendária e intacta…
Eu queria viver isso todos os dias,
até a minha morte.”

Ariane Mnouchkine

 Berliner Ensemble Sonnets stage B

Senhoras e senhores – eu os convido a conhecer o meu palco, onde deixo o meu grito e exponho a minha necessidade. Sou uma artista e minhas veias pulsam emoções muitas, de outros, de ninguém. Minhas, suas… como saber?

Eu alcanço o meu público sempre que as cortinas se abrem… através da palavra, do gesto, do olhar. Um único movimento meu, basta para transmutar a realidade, fazendo catapultar um novo estado de consciência.

É a minha maneira de abandonar a realidade dos homens… e te levar comigo para um estado de conforto, tão gostoso como um abraço. Uma viagem para além das coisa reais como as sabemos-conhecemos.

Quando eu piso no palco, sou outro eu…  o eu artista! O eu personagem.
Por alguns segundos, mergulho nesse universo novo, onde tudo acontece através do meu imaginário, que é essa aranha a urdir sua fina teia, que fisga fortemente todo aquele, que se deixa tocar por essa nova realidade, que começa a acontecer muito tempo antes desse encontro entre platéia e palco.

Primeiro o ator se dedica as experimentações, encontrando em seu corpo os muitos sintomas das emoções, que nem sempre são suas: leituras-pesquisas-movimentos-novos-pausas-reflexões-respirações… e a cada novo ensaio, o ator a tudo experimenta, provando de uma nova maturidade.

O ator-pessoa se deixa pelo caminho e vai se transformando em outra coisa,tão naturalmente, que é inegável que, em alguns casos, uma nova substancia nasce.

E o que o público colhe é justamente essa espécie de reinvenção de si mesmo.
Teatro é transe. Ritmo. Um corpo que baila virtuosamente no ar. Tudo gira. Tudo acontece. O ator e o palco são uma mesma coisa. Vitrine… e a melhor parte? É nos dar conta de que não somos nada-ninguém porque dependemos do nosso público, que chega sendo uma coisa e vai embora sendo outra… mas, para a satisfação do artista, leva consigo esse eco mundano-profano-vestido-esculpido-trabalhado que não deixa nada no lugar – tudo muda – inclusive a essência!

E quando os aplausos surgem no ar, é como um despertador a nos devolver o próprio corpo. A realidade e a ficção se tornam unas e a magia está completa.

Obrigada pela visita. Voltem sempre!

Por Thais Barbeiro

Texto escrito e publicado na revista Plural – Edição: Solombra – 2015

Acompanhe todas as publicações da revista plural em:

www.scenariumplural.wordpress.com

Edição: Lunna Guedes

Código de Ética do Ator

Código de ética

Não Agressão

  • O ator não deve agredir gratuitamente outro ator, nem o ambiente de trabalho, nem a si próprio, nem os animais e nem a natureza em geral.
  • Não deve agredir fisicamente, nem por palavras, atitudes ou pensamentos.
  • Permitir que se perpetue uma agressão, podendo impedí-la e não o fazendo, é acumpliciar-se no mesmo ato.
  • Ouvir uma acusação ou difamação e não advogar em defesa do acusado indefeso por ausência, constitui confissão de conivência.
  • Mais grave é a agressão por palavras, atitudes ou pensamentos cometida contra um outro ator.
  • Inescusável é dirigir tal conduta contra um professor, ou diretor, ou alguém com maior hierarquia que você dentro de um grupo de estudos, trabalho ou mesmo uma cia de teatro.
  • Sumamente condenável seria, se um procedimento hostil fosse perpetrado por um professor/ diretor contra um de seus pares.

Preceito Moderador:

A observância deste código ético, não deve induzir à passividade. O ator não pode ser passivo. Deve defender energicamente os seus direitos e aquilo que acredita. O segredo de tudo está na forma de falar ou agir, e principalmente no respeito ao demais colegas de profissão.

A verdade

  • O ator não deve fazer uso da inverdade, seja ela na forma de mentira, seja na forma de equívoco ou distorção na interpretação de um fato, seja na omissão perante uma dessas duas circunstâncias.
  • Consequentemente, ouvir boatos e deixar que sejam divulgados é tão grave quanto passá-los adiante.
  • O boato mais grave é aquele que foi gerado com boa-fé, por falta de atenção à fidelidade do fato comentado, já que uma inverdade dita sem más intenções, tem mais credibilidade.
  • Emitir comentários sem o respaldo da verdade, sobre fatos ou pessoas, expressa inobservância à norma ética.
  • Exercer o ofício de professor de interpretação sem ter formação específica, ou sem ter a experiência necessária constitui ato ilegítimo.

Preceito Moderador:

A observância desta norma ética não deve induzir à falta de tato ou caridade, sob o pretexto de ter que dizer sempre a verdade. Há muitas formas de expressar a verdade.

Não Roubar

  • Parece óbvio, mas vamos lá: O ator não deve se apropriar de objetos, ideias, créditos ou méritos que sejam devidos de outrem.
  • É patente que, ao fazer uso em suas aulas de interpretação, no palco, na tv, em cena, em entrevistas a órgãos de comunicação e em textos escritos ou gravados de frases, definições, conceitos, métodos ou símbolos de outro artista, seu autor seja sempre honrado através da citação e/ou direito autoral, conforme o caso.

Preceito Moderador:

A opulência sem responsabilidade social é um roubo tácito.

Desapego

  • O ator não deve ser apegado aos seus objetos de cena ou figurinos. Pois num grupo de trabalho, todos podem e devem emprestar suas coisas, se necessário, para que a obra final possa ser bem feita. A união faz a força.
  • Os ciúmes e a inveja são manifestações censuráveis do desejo de posse de pessoas e de objetos ou realizações pertinentes a outros.

Preceito moderador:

A observância deste código não deve induzir à displicência para com as propriedades confiadas à nossa guarda, nem à falta de zelo para com as pessoas que queremos bem.

Limpeza

  • O ator deve se purificar tanto externa quanto internamente.
  • O banho diário, a higiene da boca e dos dentes. Nada melhor do que se trabalhar ao lado de um colega de cena perfumado e com bom hálito. E sem chulé.
  • Após cenas fortes e difíceis o ator deve saber “se limpar” destas emoções pesadas e as técnicas do Yôga ajudam bastante nisso. Para que o ator não leve para casa essa energia pesada da cena que o envolveu.
  • De pouca valia é lavar o corpo por fora e mesmo por dentro se a pessoa ingere alimentos com elevadas taxas de toxinas e impurezas. Nós somos o que comemos.
  • Da mesma forma, o ator trabalhará e renderá muito melhor se estiver totalmente lúcido e com uma taxa elevada de entrega para seus personagens. Cumpre que o ator não faça uso de substâncias intoxicantes antes de exercitar-se no teatro ou antes de entrar em cena na TV ou em qualquer tipo de trabalho artístico. Para que saiba de forma consciente chegar em determinada emoção em cena e sair dela de forma confortável. Nenhuma substância que gere dependência explícita ou que alterem o estado de consciência são bem vindas, ainda que tais substâncias sejam naturais.
  • Na vida, no dia-a-dia do ator, quanto mais “Limpo” ele se mantém de determinadas substâncias mais consciência terá para render de forma mais coerente também em seu trabalho, equilibrando o lado profissional artístico com o administrativo, sério e competente. Um ator só é completo e bem realizado se consegue ter este senso de equilíbrio também com tudo o que faz na sua vida. Inclusive na forma de relacionar-se com as pessoas ao seu redor, algo que a utilização de qualquer droga lícita ou ilícita influencia e muito. Grande parte dos artistas possuem problemas com substâncias tóxicas. Pois o excesso de sensibilidade nos artistas é bem visto em determinados momentos, mas essa consciência pode ser captada também de forma clean e muito mais saudável. Buscando aprimora-se e evoluir sempre, respeitando seu corpo.
  • Em cena tudo é energia. Portanto aquele que só trata da higiene física não está cumprindo esta norma ética. Esta recomendação só está satisfatoriamente interpretada quando se exerce a prática da limpeza interior. Ser limpo psíquica e mentalmente constitui requisito imprescindível.
  • Ser limpo interiormente compreende não alimentar seu psiquismo com imagens, ideias, emoções ou pensamentos intoxicantes. Se em cena a personagem pede isso, que isso se faça somente no momento da cena, e após dela, na vida real o ator saiba separar as coisas. Tentando ter consciência e eliminando pensamentos intoxicantes tais como, tristeza, impaciência, irritabilidade, ódio, ciúmes, inveja, cobiça, derrotismo e outros sentimentos inferiores.
  • Finalmente, esta norma atinge sua plenitude quando a limpeza do ator reflete-se no seu ambiente, cujas manifestações mais próximas são sua casa, e seu local de trabalho. Sempre limpo e organizado.

Preceito Moderador:

A observância dessa norma não deve induzir à intolerância contra aqueles que não compreendem a higiene de forma tão abrangente.

Contentamento:

  • O ator deve cultivar a arte de extrair contentamento de todas as situações.
  • O contentamento e sua antítese, o descontentamento, são independentes das circunstâncias geradoras. Surgem, crescem e cingem o indivíduo apenas devido à existência do gérmen desses sentimentos no âmago da personalidade.
  • O ator deve manifestar bastante contentamento em relação aos seus colegas, e toda equipe de trabalho, e expressar isso através da solidariedade e apoio recíproco.
  • O ator deve estar contente com o diretor, ou Mestre de teatro que escolheu, quando se trata de uma cia. Pois se não está contente, é porque não o escolheu, então não faz sentido estar na cia de teatro deste diretor.

Preceito Moderador:

A observância desta norma não deve induzir à acomodação daqueles que usam o pretexto do contentamento para não se aperfeiçoar.

Auto-Superação

  • O ator deve observar constante esforço sobre si mesmo em todos os momentos.
  • Esse esforço de auto-superação consiste numa atenção constante no sentido de fazer-se melhor a cada dia e aplica-se a todas as circunstâncias.
  • O cultivo da humildade e o da polidez constituem demonstração de auto-superação.
  • Manter a disciplina de praticar diariamente o que se estuda. Conter o impulso de expressar comentários maldosos sobre terceiros também é compreendido como correta interpretação dessa observância.

Preceito Moderador:

Isso não deve induzir ao fanatismo nem à repressão.

Auto-Estudo

  • O ator deve buscar o auto conhecimento mediante a observação de si mesmo.
  • O bom convívio com seu diretor e seus professores ou mestres, é o maior estímulo ao auto-estudo.
  • O auto-estudo deve ser praticado ainda mediante a sociabilidade, o alargamento do círculo de amizades e o aprofundamento do companheirismo.

Preceito Moderador:

A observância desta norma ética não deve induzir à alienação do mundo exterior nem à adoção de atitudes que possam levar a comportamentos estranhos ou que denotem desajustes da personalidade.

Auto-Entrega

  • O ator deve estar sempre interiormente seguro e confiante em que a vida segue o seu curso, obedecendo a leis naturais e que todo esforço para a auto-superação deve ser conquistado sem ansiedade.
  • Durante o empenho da vontade e da dedicação a uma empreitada, a tensão da expectativa deve ser neutralizada por esta prática. Ou seja, “desencanar”.
  • E por muitas vezes na vida devemos refletir sobre a frase: “Você quer ser feliz ou quer ter razão?” Às vezes vale mais relaxar e curtir o momento seja ele como for, do que ficar reclamando o tempo todo.
  • Quando a consciência está tranquila por ter tentado tudo e ainda assim não se haver conseguido o resultado ideal; quando a pessoa está literalmente impossibilitada de obter melhores consequências, esse é o momento de entregar o fruto das suas ações a uma vontade maior que a sua, cujos desígnios muitas vezes são incompreensíveis.

Preceito Moderador:

A observância desta norma não deve induzir ao fatalismo nem à displicência.

Conclusão

O amor e a tolerância são pérolas que enriquecem os mandamentos da nossa ética. Que este código não seja causador de desunião. Não seja ele usado para fins de patrulhamento ideológico, discriminação, manipulação nem perseguição. Nenhuma penalidade seja imposta por nenhum grupo aos eventuais descumpridores destas normas. A eles lhes bastará a desventura de não usufruir do privilégio de vivenciá-las.

Texto escrito pela atriz Tha Lopes, inspirado no Yôga Sútra de Pátañjali, intitulado “Código de ética do Yôga”, que foi traduzido e publicado no Livro “Tratado de Yôga” pelo Prof. DeRose, página 799, 45ª Edição. Para conhecer o Código completo, e original, leia o texto no livro citado acima, ou no link: 

http://www.metododerose.org/blogdoderose/filosofia/codigo-de-etica-do-yogin-extraido-do-livro-tratado-de-yoga/

Os cuidados com a vida do ator fora de cena

Um ícone de Sucesso Profissional.
Um ícone de Sucesso Profissional.

Seguem abaixo algumas dicas fáceis da coach de atores Thais Barbeiro, para que o ator possa ter uma qualidade de vida melhor observando suas atitudes no seu dia-a-dia:

  • Antes mesmo de sair da cama, sente-se com os olhos fechados. Faça alguns instantes de exercício de concentração e meditação, que são aprendidos nas práticas regulares de Alta Performance.
  • Alongue-se, tracione.
  • Faça uma mentalização do seu dia. Observe tudo o que você quer que aconteça naquele dia. Coloque foco. E saiba que só dependerá de você fazer acontecer todos os seus sonhos na vida.
  • Ao escovar os dentes faça ao menos 5 minutos de contrações abdominais, limpeza dos órgãos internos. Faça as suas necessidades e tome um prazeroso banho.
  • Ao olhar no espelho, esboce um bonito sorriso. Sorria sempre. Para você e para os outros.
  • Faça um delicioso e colorido café da manhã para você mesmo.
  • Coloque roupas bonitas que façam você se sentir bem com você mesmo, mas que tragam muito conforto.
  • Tenha seu próprio estilo, sem exageros.
  • Através de sua forma de vestir, você passa muito da sua personalidade.
  • Se você vai fazer um teste, procure optar por algo neutro, ou que já lhe ajude a compor o personagem.
  • Cabelos sempre limpos.
  • Para as mulheres, uma maquiagem leve. Corretivo, pó, blush, rímel, batom cor de boca.
  • Cuide da sua alimentação. Você é o que você come.
  • Faça atividades físicas com frequência. Caminhe bastante, se possível.
  • Mantenha uma ótima Rede de Relacionamentos, mostrando-se solícito em ajudar e divulgar seus amigos. Desta forma você cria uma reciprocidade para que eles façam o mesmo com você.
  • Frequente seus amigos. Crie parcerias. Apoio mútuo é sempre muito bom.
  • Chegue sempre nos horários marcados.
  • Tenha mais zelo aos compromissos que assumir com as pessoas.
  • Organize-se. Organize a sua agenda, as suas datas, a sua casa, os seus contatos, o seu ambiente de trabalho, suas prioridades.
  • Distribua melhor o seu tempo para que você possa fazer tudo o que quiser.
  • Organize a sua vida financeira. Por ser uma profissão instável, com altos e baixos, procure sempre poupar. Faça investimentos apenas à vista, com desconto. Elimine as parcelas de sua vida. Se isto não for possível, programe-se para ter mês a mês o valor de suas contas.
  • Cultive suas amizades. É sempre bom ter amigos sinceros por perto.
  • Estude e leia muito. A todo o momento treine a sua leitura e se possível, a sua escrita também.
  • Informatize-se. Não nade contra a corrente da evolução humana. Tenha uma Rede Social, um bom mailing de cadastros do seu meio. Tenha um blog pessoal, conte ao mundo o seu melhor. Construa a imagem que você quer passar para as pessoas e torne-se sempre lembrado por eles.
  • Antes de dormir, repasse o seu dia, veja o que você pode melhorar.
  • Imagine suas metas na vida.
  • Deixe sempre um caderno e caneta ao lado de sua cama, para que você possa ter o costume de anotar seus sonhos.
  • Não se intoxique. É uma delícia se divertir sem precisar de nada para ser feliz.
  • Experimente ser mais clean. Cuide do seu corpo. Você necessitará dele como uma ferramenta primordial para o seu trabalho.
  • Amor a si mesmo, antes de qualquer coisa, é um romance que deverá durar uma vida inteira.
  • Cuide do seu sono, procure dormir bem sempre, para acordar com uma ótima aparência, cheio de disposição e vitalidade para trabalhar.
  • Procure relacionamentos que lhe acrescentem algo e não que lhe dispersem do seu foco.

10 dicas para se tornar ator:

Provavelmente eu nunca serei

o melhor ator de Hollywood,

mas eu espero poder ser o que mais trabalha.

Ashton Kutcher

Muita gente me pergunta como fazer para entrar neste meio artístico. Desde pessoas bonitas que só sonham em contracenar com famosos ou pessoas que amam a arte da interpretação de forma sincera e honesta. Para ambos os casos eu respondo as mesmas coisas. Ser ator não é fácil. Tem que decorar textos, estudar, se dedicar. E acima de tudo ser uma pessoa carismática e muito bem relacionada. Não adianta nada ser belo se não tiver carisma e talento. É uma profissão que como outra qualquer exige-se muita dedicação para galgar o sucesso. E acima de tudo, se um dia conseguir se tornar famoso, deve-se manter a simplicidade ao lidar com as pessoas. Manter-se humilde. Mas vamos partir do começo, seguem aqui 10 dicas simples para quem ama as artes e quer começar uma carreira artística.

O crescimento como bom ator e

como ser humano são sinônimos.

Stella Adler

Fernada Montenegro

1) Escolha um bom curso de Teatro:

Se você mora em uma cidade pequena, procure os grupos de teatro amador de sua região e comece a estudar teatro até ter condições de ir para uma cidade maior fazer cursos renomados. Em grandes centros como São Paulo e Rio de Janeiro existem bons cursos livres gratuitos como a Oficina Oswald de Andrade em SP. Mas se de fato você quiser seguir nesta profissão aconselho uma escola séria de formação de atores, como o Célia Helena, EAD e Globe em São Paulo, ou a Martins Pena, a CAL, ou a Faculdade Cândido Mendes no Rio de Janeiro. Existem muitas boas escolas. Procure a que esteja mais próxima de sua casa e que caiba dentro do seu bolso. É bem importante investir num curso com nome. Questione a seriedade deste curso antes de se matricular aleatoriamente em qualquer um. Fuja de cursos que fazem promessas milagrosas, ou que falem de grandes oportunidades em conhecer diretores de emissoras, etc. Isso não funciona. Um bom curso sério vai lhe ensinar teatro. Sem promessas. Na prática, na vivência, no palco. Isso sim funciona.

2) Invista em um bom material fotográfico:

Quando faltar apenas 1 ano para você se formar neste curso de formação escolhido, você  já poderá tirar seu DRT de ator provisório, que é valido por 1 ano apenas. Converse na recepção de seu curso para ter mais informações sobre este assunto. Neste momento você já pode começar a ir atrás de agências de atores e testes para comerciais de tv. Para isso você precisará ter em mãos um bom material fotográfico. Existem muitos fotógrafos bacanas. Em São Paulo indico o Márcio Del Nero que fez muitos dos meus materiais, o Ricardo Iazzetta, o Marcelo Hein, a Bella Tozini, a Márcia Rocha do Studio Zoom entre outros. Dê um google nestes nomes e você vai encontra-los facilmente. Prepare seu bolso, pois fotos  de boa qualidade custam em torno de R$900 para mais. E você pode optar por um fotógrafo que já tenha maquiador e figurino inclusos no valor contratado. No Rio indico o Jeff Porto.

3) Procure boas agências de atores:

Com suas fotos em mãos, você deve entrar em contato com boas agências de atores. Aconselho sempre começar por São Paulo, pois possui mais oportunidades de trabalho em publicidade do que no Rio. E é bem melhor para você pegar experiência. Aí vão alguns nomes de agências de atores e modelos em São Paulo para você tentar entrar. Todas estas aceitam atores iniciantes que será o seu caso: Em Sp: Cia 2, Princípio do Talento, Nossa Senhora do Casting, Totem, Tobias, Tribo de Atores, PHM, Dizanza, Casa Agência, Casa de Elenco. Agência The One Angency e Army no Rio. Dê um Google para achar estes contatos e enviar seu material por e-mail. Faça um currículo bonitinho com uma foto sua e um release com qualquer experiência que você tenha. Coloque as peças que você já deve ter feito  nestes cursos de teatro que você está fazendo. E se tiver links bacanas de vídeo envie para análise por email também.

4) Não aceite fazer figuração:

Não comece em uma carreira já se desvalorizando. Se a grana apertar faça qualquer outra coisa. Mas se você um dia quer ser protagonista nunca aceite uma figuração. Isso desvaloriza seu trabalho. Ao entrar numa agência já coloque este detalhe importante em sua ficha de cadastro.

Antunes Filho

5) Faça um teste para entrar para o CPT no Antunes Filho, ou na EAD na Usp.

Fique ligado nas datas de inscrição para estes testes. Ambos os cursos são gratuitos e os testes costumam acontecer uma vez ao ano. Estes cursos são bem difíceis de entrar, e por isso você deve ter alguma experiência e deve frequentar alguma outra escola antes de se aventurar nos testes. É bem importante que você vá assistir todas as peças que entrarem em cartaz destes locais que citei para que conheça a linguagem de trabalho que eles utilizam. E para que possa se preparar para os testes.

6) Faça amigos e conecte-se no mundo virtual

Você precisa fazer um mailing muito bom de amigos neste meio. Guarde todos os contatos em uma planilha no Excel. Se você não souber usar bem o computador, faça cursos sobre informática também. Um bom ator precisa estar super, ultra conectado com as pessoas. Tenha muitos contatos do meio artístico em suas Redes Sociais e seja um colecionador de e-mails e telefones de pessoas bacanas. Um dia você vai precisar destes contatos e eles estarão na mão.

7) Faça um bom vídeo book

Crie um canal no YouTube e no Vímeo para ter todos os seus vídeos em um único local. Toda vez que fizer algum trabalho, tente baixar o vídeo no youtube e poste em seu canal. Contrate um profissional e grave cenas, monólogos, um clipe com imagens de trabalhos seus, etc. Faça algo de qualidade. Para Rio indico o Felipe Reis e o Miguel Pinheiro,  para fazer seu vídeobook. E em Sampa o Ricardo Pepê. Dê um Google para achá-los. O valor é bacana e o resultado excelente.

Wagner Moura

8) Faça um registro na Rede Globo e na Rede Record na área de teledramaturgia

Você pode tentar entrar em contato direto com a emissora ou pode pedir para sua agência fazer isto por você. Este registro deve ser renovado sempre. Você deve decorar um monólogo de sua escolha e agendar um dia para ir gravá-lo. Peça para um amigo seu diretor te dirigir antes de você ir gravar este monólogo. Deixe-o perfeito para a data da gravação. Nas minhas assessorias personalizadas eu costumo passar o meu mailing com todos esses contatos.

9) Crie seu material de divulgação

Contrate um bom profissional para fazer um lindo site para você colocar todos os seus trabalhos em um único local. Um site profissional com vídeos, fotos, currículo. E um blog dentro do seu site. Tenha um blog sempre atualizado, onde você pode exercitar sua escrita e divulgar seus projetos. Crie uma página profissional em seu Facebook para que você possa divulgar os posts de seu blog e todas as novidades de sua profissão. Crie um Twitter e um Instagran e use-os para divulgar seus trabalhos para os fãs. Use as hashtags para conquistar novos fãs. Faça um cartão de visitas bonito com uma bela foto sua e com todos os links para que as pessoas lhe achem facilmente em todas as Redes Sociais. Invista em você. Use como exemplo meu site: www.thaisbarbeiro.com e meu blog www.thaisbarbeiro.com/blog. Caso tenha dúvidas ou não saiba como fazer, agende uma assessoria de marketing pessoal comigo por skype que eu posso te ajudar em todas essas dicas e indicações, bem como posso criar seu blog e redes sociais e ensiná-lo a usar. (atrizthaisbarbeiro@gmail.com)

10) Contrate uma assessoria de imprensa

Quando você conseguir algum trabalho com boa repercussão na mídia contrate uma assessoria de imprensa para manter seu nome divulgado. E continue correndo atrás de novos trabalhos sem parar. O ator deve sempre estudar, fazer cursos e se reciclar. Preparar seu corpo, sua voz e sua mente.

https://youtu.be/9_8cDYJMRJw

Eu amo teatro

“Sei que além das cortinas  são palcos azuis
E infinitas cortinas com palcos atrás
Arranca, vida – estufa, veia
E pulsa, pulsa, pulsa, pulsa, pulsa mais”

Chico Buarque

Eu nasci para o palco – (esse lugar onde tudo se multiplica). – minhas brincadeiras infantis eram teatrinhos de cenas curtas, com cenário-figurino-e-maquiagem -, onde eu me apresentava com minhas primas naquelas famosas festas de família e, também nos carnavais.
Essa paixão era tão forte que quando completei meu dez anos – no ano de 1993 – peguei a antiga lista telefônica e procurei por um bom curso de teatro em Santos, onde morava na época. Achei a antiga Galeria Santista de Arte, e pedi para minha mãe fazer a minha matrícula o quanto antes.
Ao entrar nesse “palco” eu soube que seria um caminho sem volta porque Teatro é um caso de amor infinito. No palco somos uma folha em branco que se transforma em qualquer coisa. Somos todos e não somos ninguém. Os personagens se revelam na pele e a alma parece se ausentar para apreciar a transformação. Simplesmente acontece.
Ainda no mesmo ano, comecei minha carreira no teatro amador da cidade com a peça infantil “O mistério do Cofre” – em seguida fui chamada a participar de um teste para o espetáculo infantil “Spray Doidão” – com essa peça eu percorri o país com minha trupe teatral em plena infância.
Muitas outras montagens se sucederam, mas foi com a adaptação de “A Megera domada” de William Skakespeare, no papel da protagonista “Catarina” – aos 14 anos – que conheci meus primeiros prêmios. Em 1998 fui premiada como atriz revelação no FESTA – e melhor atriz no Festival SESI Coca-cola de teatro.
Neste momento eu tinha ainda mais certeza de que o meu sonho que estava apenas começando – em 1999 mudei para São Paulo onde tive diversas oportunidade interessantes na TV, mas o teatro seguia sendo o meu grande amor e foi pra ele que voltei no ano 2000 – com então dezoito anos – entrei para o CPT (Centro de Pesquisa Teatral) do Diretor Antunes Filho – lá tive a oportunidade de ensaiar ao lado das grandes atrizes como: Juliana Galdino e Arieta Corrêa na peça “O jardim das Cerejeiras” e “Prometeu” no papel da IO.
Lamentavelmente,  Antunes desistiu de estrear estas montagens – mas foi um grande aprendizado porque hoje sei muito sobre a arte do ator e sobre a arte da vida. Nunca vou me esquecer dos ensinamentos do grande Antunes. Um verdadeiro mestre dos palcos que fez com que eu dividisse minha carreira de atriz em antes e depois de Antunes Filho.
Os nossos grandes atores passaram pelo palco – levaram multidões a platéia – e, deixaram para trás a si mesmo para levar ao outro aquele ser que surge quando a maquiagem começa a desenhar um alguém novo. Ali mesmo, na frente do espelho. Naquele canto de solidão tão necessário. E lançar um último olhar para si mesmo e dizer “adeus” ao que somos para dar as boas vindas a esse ser que se apodera das nossas vísceras.

Há toda uma nova geração de atores que parece recusar o teatro – talvez porque os palcos não brindem o ator com tanto brilho, glamour e, o que o palco nos oferece pode ser pouco para eles. Afinal, o teatro nos brinda com um público vivo – sentindo a nossa energia em cena – a nossa metamorfose. É uma doação plena, tanto de quem interpreta e convence quanto de quem assiste e se deixa convencer.

A televisão tem maior alcance, mas veja esses novos atores em cena, são mecânicos e se valem apenas de suas imagens – são atores – e, eu entendo porque alguns deles dizem não gostar de teatro. Porque na verdade, o palco não os querem, porque o tablado é um lugar sagrado. O olhar não está longe, alheio – está logo ali – podemos tropeçar nele. Com certeza não é fácil, mas quando ultrapassamos a barreira do incomodo – é simplesmente sensacional…

Eu sou vida e vida posso transformar quando nos palcos estou a pisar. Sim Teatro!

Pra sempre vou te amar.

Teatro_AtrizThaLopes_4

Ser careca, ser feliz, ser atriz

“Vamos fazer assim, eu cuido de você, você cuida de mim.

Não desisto de você e nem você de mim.

Vamos até o fim.

Dá a mão pra mim.”

Lucas Lucco

 

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_1 Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_2

Recebi um convite muito especial para ser protagonista do clipe musical “Mozão” do novo álbum do cantor Lucas Lucco. Ao ler o roteiro me apaixonei na mesma hora pela oportunidade de poder viver uma mulher com câncer de mama. Uma história de amor, apoio e superação. E quem não sonha em viver um grande amor? Eu sonho. E foi uma delícia poder dar vida a isso.

Sou atriz. Nasci assim, não tem jeito. Com dez anos de idade já estava nos palcos representando vidas de personagens que ajudaram a ilustrar a mulher que me tornei hoje.  Não sei negar a oportunidade de um bom papel. E como geminiana, amo desafios.

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_10

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_11

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_12

A cena de raspar os cabelos foi um presente. Mostrar apenas com o olhar, sem falas, sem sons, um turbilhão de sensações que se passaram em minha mente. Cinema mudo. Lágrimas no rosto. Eu olhava para o Lucas, que não é ator e ele chorava junto comigo. Toda a equipe emocionada. O pensamento em todas as mulheres que estariam morrendo naquele exato momento por causa do câncer de mama e na lembrança o meu pai, que falecera recentemente também vitimado por um cruel câncer.

Para a Tha, atriz, raspar os cabelos não teria tanta importância. Mas sei o quanto é difícil para quem sofre desta doença. E tentei me colocar na mesma situação para fazer esta cena. Entrega total. Doação. Meus cabelos por uma causa. Minhas madeixas em troca da informação através da emoção.

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_13

“Muitas mulheres morrem simplesmente por ignorância. Por não quererem fazer o tratamento, por não quererem ficar carecas.”

Drª Elisa Neiva Vieria do Grupo Andanças

A revolta. Fiquei chocada ao saber de casos de mulheres que foram abandonadas por seus maridos. Não podemos generalizar, muitos companheiros são exemplares, mas soube de alguns casos em que a mulher não saía de casa, isolada. Desistindo do tratamento por questões estéticas e simplesmente morrendo desta forma. Tudo poderia ser tão mais simples se não houvesse tanto preconceito. Uma verdadeira falta de informação para estas mulheres e para seus parceiros. Vejo que a missão deste clipe foi justamente mostrar o lado oposto. O respeito, o companheirismo, a união, o apoio. Câncer de mama tem cura, e o primeiro passo é você saber disso.

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_14

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_15

O prazer de fazer o bem é algo grandioso demais, e é neste exato momento que o trabalho deixa de ser só trabalho e se torna uma missão. Se comunicar em massa com a sociedade ao nosso redor através de uma mensagem, uma música e belíssimas imagens. Pois se há uma forma verdadeiramente eficaz em mudar o ser humano, é através do exemplo.

Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_6 Clipe Mozão_LucasLucco_ThaLopes_5

Para mim, a sensação de ficar careca mostra uma mulher com atitude, força e personalidade. Mostra uma mulher que quer vencer, que não liga para o que os outros falam, uma mulher com a auto-estima lá em cima, repleta de confiança para vencer e lutar pelos seus sonhos. Mas entendo que para a personagem, ou uma paciente denuncia seu real estado.

É doloroso demais, pois traz o fantasma da morte.  A tristeza do adoecer acompanhada da possibilidade de morrer, isto assusta a todas sem exceção. A noticia da perda do cabelo é encarada com tranquilidade ate o momento em que ela realmente acontece.”

Drª Maria Elisa.

Infelizmente senti na pele o que mulheres com câncer passam, pois as pessoas nas ruas me olhavam de forma estranha, com pena, assustadas. Os rapazes não tinham coragem de olhar em meus olhos. Percebia a frieza dos meninos. De fato uma mulher careca os assusta. Algumas pessoas vieram chorando perguntar se eu estava doente. Achei engraçado, pois imaginei que se eu estivesse doente, com a auto-estima lá em baixo, todas estas situações serviriam para me deixar ainda mais abalada emocionalmente.

O clipe teve mais de seis milhões de acessos em menos de duas semanas. Estou muito feliz. Foi tudo feito com muito amor e carinho. Divulguem, compartilhem, passem adiante esta mensagem. Não sabemos como será o nosso dia de amanhã. E todos nós estamos sujeitos a passar por uma situação real e delicada como esta. Os homens e as mulheres precisam de mais informação. Menos preconceito. Menos preocupações com a estética, mais conteúdo, mais amor no coração. E é para isso que serve a arte. Já diria meu mestre no teatro Antunes Filho, que uma obra de arte, para ser arte, deve incomodar. O expectador pode nem sequer entender ou gostar, mas deve se sentir incomodado de alguma forma. Isso é arte. Quando se muda o ser humano através das emoções.

Assista ao clipe que cito neste texto.

 

Vendo este olhar preconceituoso, pensei em aproveitar o estado careca e fazer uma campanha de fotos na internet. Sem cachê, consegui a fotógrafa Bella Tozini, o fotógrafo Marcelo Hein, o ator Felipe Folgosi e o designer Guto Silveira para mostrar em fotos lindas com frases de impacto, uma campanha contra o câncer de mama. Estas fotos estão disponíveis para serem compartilhadas nas Redes Sociais. E prezam por mostrar a beleza de ser careca. Um detalhe importante, meus cabelos já haviam crescido um mês após as filmagens do clipe, e decidi por livre e espontânea vontade raspá-los novamente. Valeu à pena o resultado.

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_6 

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_7

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_8

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_10

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_9

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_1

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_2

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_3

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_4

Campanha contra o câncer de mama_Atriz Tha Lopes_Clipe Mozão_Lucas Lucco_Felipe Folgosi_5

“Câncer de mama tem cura: Você.”

Passe essa mensagem adiante!

*Dia 5 de fevereiro é o dia nacional da mamografia.

Uma conquista recente no Brasil.

Faça o auto-exame!

 

Pensamentos de uma atriz careca

PB-0019

Toda vez que eu aceito um trabalho – entre outras coisas, eu sou atriz – tenho pra mim que viverei o meu melhor momento, por isso me dedico de corpo e alma as coisas que faço porque é como se eu dissesse as pessoas “aí vai o meu coração” e nessa profissão, como em qualquer outra, dedicação é substantivo próprio…

E foi exatamente assim que eu me senti quando recebi a proposta para gravar o clipe da música “mozão”. Havia uma imposição significativa: ficar careca. Não pensei imediatamente na estética – muito menos no dia seguinte a gravação. Tentei pensar apenas na história narrada pelos versos da música e, mergulhei na composição desse personagem.

Lembrei-me imediatamente de atrizes que aceitaram esse mesmo desafio e, de outras que desistiram no último segundo – porque não é fácil. Vivemos em um mundo de símbolos e seus poucos significados, tudo se limita ao julgo do outro… A profissão de atriz está diretamente ligada a sua imagem e, se olharmos esse mundo atentamente, veremos sempre mulheres com cortes cuidadosamente escolhidos para dar vida aos personagens, mas quantas vezes você viu uma atriz careca?

Ser atriz me permite ser muitas – uma faceta deliciosa, mas é mais ou menos como colocar uma máscara na face. Quando descubro o rosto o que exibo é uma mente e um corpo são – tudo se limita ao personagem, mas para ser essa outra pessoa precisei trazer para mim as sensações, os medos e os infinitos questionamentos que as mulheres enfrentam ao descobrir o câncer de mama. Não é fácil saber-se doente, enfrentar o tratamento, o medo e consequentemente a perda de cabelo. Sobreviver a doença é o objetivo, mas é preciso também sobreviver a dor, a solidão, a tristeza – a sensação de fracasso que toma conta do corpo…

Por tudo isso, digo com certeza que foi um dos mais belos trabalhos que realizei – e saio de cena sem me esquecer dos olhares surpresos e incrédulos porque infelizmente somos as roupas que vestimos, o corte de cabelo que escolhemos, as jóias que adornamos, as cores que preenchem nossa face, as rugas que se multiplicam em nossa pele. Só não somos de fato o que deveríamos ser: pessoas.

Eu digo com certeza que não sou a Thais de antes – sou outra porque a arte a qual me dedico me presenteou com essa possibilidade e como diz Rubem Alves em uma de suas crônicas: “ser bonito é uma coisa muito boa. É uma das maiores felicidades da vida. Mas essa é uma felicidade emprestada – porque ela mora nos olhos das outras pessoas. Eu não me basto. Eu preciso de algo que eu não tenho”.

*Fotógrafa: Bella Tozini

* texto escrito e publicado originalmente na Revista Plural – edição cafeína na veia/março 2014 que pode ser lida em www.pluralrevista.blogpsot.com

Assista ao clipe em que vivi uma mulher com câncer de mama.